Quem somos

A Árvore – Cooperativa de Actividades Artísticas CRL, é uma cooperativa cultural reconhecida pelo Estado português como um organismo privado de utilidade pública.
Foi fundada em 1963 por artistas, escritores, arquitectos e intelectuais interessados em criar novas condições para a produção e difusão cultural, de forma livre e independente, que assim concretizaram um sonho e uma ambição com o amor com que sempre se tentam os sonhos. Este grupo, deu vida a uma instituição que apesar dos sobressaltos e inevitáveis incidentes de percurso se afirma hoje, com 52 anos de existência, uma Árvore com raízes bem firmes e a vastidão das suas frondes, ultrapassam de longe a ambição e o sonho dos seus fundadores.

A Árvore tem como objecto a produção, divulgação e comercialização de obras artísticas e editoriais e a formação e informação dos sócios e do público em geral na área das artes visuais, dos estudos de arte e em outras áreas da criação e do saber. Pretende ainda facilitar aos sócios trabalhos de natureza artística; entrar em contacto com outras organizações, nacionais ou estrangeiras, com vista ao intercâmbio artístico e cultural; criar, organizar e dirigir ateliers, aulas, exposições ou equipas de trabalho dentro da actividade artística e promover quaisquer outras actividades necessárias à realização do objecto social.

A Árvore cresceu com uma actividade cultural plural e diversa: conferências, palestras e conversas, exposições em Portugal e no estrangeiro, simpósios, oficinas e cursos livres, concursos, prémios, livros, obra gráfica e edições de múltiplos, produção e instalação de obras de arte. Tem na sua história momentos marcantes preenchidos pela revelação de artistas e obras, pela divulgação da arquitectura, pelo debate sobre os pensadores portugueses, pela análise crítica à literatura, pelas homenagens realizadas, na colaboração com institutos nacionais e estrangeiros, com embaixadas, companhias de teatro, câmaras municipais e outros agentes.

Hoje tem cerca de 1.400 sócios e 20 trabalhadores e o seu orçamento anual resulta da produção cultural, artística e editorial que contratualiza com agentes públicos e privados, da venda de originais e múltiplos de arte, das actividades de formação em áreas artísticas, da prestação de serviços relacionados com a arte e cultura, das quotas dos sócios e do apoio mecenático de particulares e empresas.


Onde estamos
Sedeados desde a nossa criação na zona histórica do Porto, no Passeio das Virtudes, no edifício mandado construir por José Pinto de Meireles cuja pedra de armas encima a frontaria e inaugurado em 1763, este edifício foi adquirido pela Cooperativa em 1989 aos proprietários de então, Dona Margarida Helena de Azevedo Albuquerque e Dr. Henrique da Costa Alemão Teixeira. Localizado em pleno Jardim das Virtudes, temos uma localização e vista privilegiada sobre o Douro.


Ver mapa maior



O que temos para oferecer

No edifício-sede disponibilizamos:
– Salas de Exposição.
– Loja e Galeria de Arte.
– Oficinas e Produção de Serigrafia, Litografia, Gravura, Cerâmica, Fotografia e Multimédia.
– Auditório.
– Bar/Tertúlia e Esplanada.
– Jardim.

O que fazemos
Na nossa actividade consideramos

Obras de Arte:
– Comissariado, Produção, Instalação e Venda.

Exposições:
– Na Galeria da Árvore.
– No Exterior - Concepção, Organização, Comissariado, Produção, Promoção e Venda.
– Itinerantes - Produções Próprias ou Agenciadas - Co-Produções.
– Bienais, Concursos e Prémios de Arte.

Edições:
– Obra Gráfica (Serigrafia, Litografia e Gravura).
– Múltiplos de Escultura e Cerâmica.
– Painéis de Azulejo.
– Cerâmica Serigrafada (Serviços de Jantar, Chá e Café, Pratos e Outros Objectos Cerâmicos…).
– Livros.

Eventos Culturais:
– Simpósios de Escultura e Pintura.
– Congressos, Conferências, Palestras, Colóquios, Lançamento de Livros.

Formação:
– Oficinas Livres de Pintura, Desenho, Cerâmica, Serigrafia, Litografia e Gravura.
– Workshops e Ateliers.
– Residências Artísticas.
– Viagens Culturais.

Serviços de Arte:
– Projectos de arquitectura de exposições.
– Transporte e seguro de obras de arte.
– Fotografia de obras de arte.
– Avaliação de obras de arte.
– Restauros.
– Aluguer de obras de arte.
– Criação e produção de troféus e medalhas.

Reconhecimento
Além das actividades artísticas e culturais que promove, a Árvore participa também em outras organizações, sendo:
– Fundador por Natureza da Fundação de Serralves.
– Fundador da Fundação Portugal-África.
– Sócio Fundador Colectivo da Associação Amigos do Coliseu do Porto.
– Membro da AEP – Associação Empresarial de Portugal.

O trabalho desenvolvido pela Árvore foi reconhecido
– Medalha de Mérito – Ouro, conferida pela Câmara Municipal do Porto, em 2013.
– Medalha de Mérito Cultural “Honor Alit Artes”, conferida no Centenário da Sociedade Nacional de Belas Artes, em 2001.
– Título de Membro Honorário da Ordem do Infante Dom Henrique, conferido pelo Presidente da República, em 1992.
– Medalha de Mérito – Prata, conferida pela Câmara Municipal do Porto, em 1985.
– Título de Pessoa Colectiva de Utilidade Pública, conferido pela República Portuguesa – Presidência do Conselho de Ministros, em 1984.


ÁRVORE XXI

O projecto “Árvore XXI – Um Espaço de Convergência Criativa” com um investimento global de €1.543.807,15 aprovado e co-financiado pelo “ON.2 – O Novo Norte” (Programa Operacional Regional do Norte) num montante de apoio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional de €1.080.665,01, resulta da candidatura ao Sistema de Apoio às Indústrias Criativas – Infra-estruturas físicas – e materializa-se na renovação e modernização da sede e jardim da cooperativa, na construção da
nova oficina multimédia e salas expositivas, na aquisição de equipamentos informáticos, de vídeo e de fotografia, e na construção do novo bar/tertúlia.

Objectivos:
– Continuar com o trabalho de divulgação das artes, de criação de pontes entre as diversas formas de expressão artística e a sociedade, em particular junto de públicos cada vez mais alargados.
– Renovar todo o espaço edificado, modernizar o equipamento, criar condições para atrair e formar mais criadores, promover mais trabalho para os artistas e apoiar o empreendedorismo nas indústrias criativas.
– Melhorar a programação e produção cultural, mantendo os valores de sempre – liberdade como substrato da criação artística e solidariedade dos artistas com a comunidade – e trilhar novos caminhos nas áreas da co-criação, colaboração multidisciplinar e maior diversidade artística.
Em resumo, novas oportunidades aos jovens, novos desafios aos criadores, novas experiências aos públicos.
Dinamizaremos a nossa actividade futura, alicerçada nas novas valências, promovendo:
– O reforço da Produção Criativa – fomentando-a através das nossas oficinas e da sua produção;
– O reforço da Programação Cultural – as exposições, uma nova programação, o bar, toda a Árvore, serão espaços para promover o encontro criativo de pessoas e entidades, ligados à cultura, à cidade e à região.
– A promoção do Consumo Cultural – onde os novos espaços e equipamentos permitirão o acesso de mais públicos, incluindo aqui empresas e entidades públicas.
O conceito de Cooperativa Artística para o Século XXI considera assim as três linhas de acção que a Árvore sempre manteve: Pedagogia e formação, Exposição e divulgação, Produção e edição de objectos artísticos.
Através destas três linhas a Árvore serve os seus sócios e a comunidade, pela transferência de valor e conhecimento. Mantendo a liberdade como substrato da criação artística e a solidariedade dos artistas com a comunidade procuraremos trilhar novos caminhos nas áreas da co-criação, na colaboração multidisciplinar
e na diversidade artística.
O objectivo último será o de proporcionar novas oportunidades aos jovens, novos desafios aos criadores, novas experiências aos públicos.